segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Vítima da obcessão
Eloá, pobre Eloá
Morreu de tanto esperar
Esperou a mídia falar
Falou que um dia tentou amar
Amou, como não se pode imaginar
Imaginou que ele ia cansar
Cansou, agora sua vontade era a matar
Matou! para sempre, com mais nada pode sonhar
Sonhou, enquanto estava deitada no sofá
Esperando o sequestro acabar
Acabou, mas com um tiro
Que fez do céu seu novo lar
Danilo C. Hostim

2 comentários:

Filha disse...

Foi o poema que vc me disse hoje
fico MUITO booom!
posso arriscar dizer que só nao ficou tão bom qnto o da balinha
kkkkkkkkkkk
brincadera
eu amei !
;*

Mandinha (agregada) disse...

Lindo mesmo xD